território

Ele chegou como se nada fosse. Em silêncio. Explorou o terreno. Quando percebeu as suas manhas, condições, defeitos e tentações marcou o terreno.
Conhece o local como ninguém. Não quer partir. Afeiçoou-se, apaixonou-se.
Agora, se partir vai deixar mágoa, dor. Nada volta a ser o que era. Habituaram-se um ao outro! Não vivem um sem o outro. As flores não crescem, o riacho não corre.
Harmonia.

4 comentários:

Mariana disse...

adorei a forma como metaforisaste o amor !

Gabriela disse...

Semeou o seu campo, se abandonar (um dia, quem sabe) a seca atingirá o indefeso território. Espero que perdure aí, que cuide bem, que ajude a crescer :)

Denise Portes disse...

Lindo seu blog, gostaria que você fosse conhecer o meu www.odeliriodabruxa.blogspot.com
Um beijo
Denise

ana catarina?-sim sou eu. disse...

gostei mesmo do texto território. escreves muito bem :)

 
Designed by Lena