Adivinha

Abri a janela e debrucei-me sobre o parapeito, onde fiquei sozinha com as milhares de estrelas, que cintilavam no alto céu. Viajei uma vez mais pelo paraíso futuro, com um sorriso esboçado na face. Naquela manhã tive a certeza, de que ele estaria mais perto do imaginado e que as pertenças seriam feitas, como tinha em mente. Não tive oportunidade de dizer a ninguém como queria que tudo decorresse, mas a verdade é que tinha pedidos, com alguns pormenores indispensáveis. Permaneci calada e após algum tempo passar, limitei-me a ficar atónita quando vozes soaram ao meu ouvido, atropelando as frases que eu queria tanto ouvir. Pura adivinha. O meu sorriso estendeu-se ainda mais, sem obstáculos, o que me deixou seriamente agradecida…
Suponho agora gestos generosos a proclamar a felicidade extensa e libertina, que realçará o brilho dos meus olhos e os sintomas, que são cada vez mais loucos e excêntricos.

4 comentários:

Andreia disse...

Que bom o sussurro no ouvido! Que vou esse sorriso na cara! *

Isa disse...

abri a janela, e vim parar a este paraíso

Rita da Maçaroca disse...

Se a verdade da realidade te ilumina, tens é de tirar prazer disso :)

Beijinho

filipa disse...

está lindo +.+
chama-se sol de inverno e é da Simone de oliveira :)

 
Designed by Lena