Robot

Como é que foste capaz de envolver-me nesta fuga? Como? Tu sabes melhor que ninguém que o azeite se destaca na água, em perfeição e que eu, não sou do tipo de pessoa, que entra nos teus esquemas mesquinhos. Essas mentiras sem pés nem cabeças, em que juras verdades, não se encaixam, não têm as minhas formas. Não lamento.
Óbvio, o pedido que me fizeste para sair, não vinha só, “para variar”! A desconfiança presenteava, uma outra vez. Eu não queria e avisei-te que ver pessoas que não devia, nem podia até, a viagem que me levava até elas, ia dar uma grande bronca. Alguém podia descobrir e o abismo estava logo de imediato, à nossa beira. E mais uma vez digo: Tu sabias disso tudo… e mesmo assim, arriscaste, como se fosse só, a tua pobre vida que estava em jogo. Eu relembro - Não era.
Quem tu enganaste de novo, podia aparecer. Claro que nada te preocupava. Arranjas sempre maneira de escapar, o que te estraga a ti e aos outros. Os outros, de quem gozas, cansam-se, simplesmente. És um caso raro, és daqueles que não aprende com os erros, que não tem vergonha na cara e que pensa que tem prazer maior quando eleva facto em que não cabem razões. Sim, és isto e muito mais. E sabes? Há outras formas de alcançar o gozo total.
Quando dizem que se aprende com os erros, é porque a sanidade compõe esses corpos.
Eu vociferei e clamei, certo? E naquele momento, o que é que surgiu no teu crânio? Eles viram-nos! Odeio sentir-me assim, encalhada em terra e sem remos para avançar. Tantos nervos que me metes.
E digo-te mais: Havias de ser castigado da pior forma, ao máximo. Percebes? Se a tua vida ficasse a mando de outra pessoa, que só te mandava abrir a boca de vez em quando, era pouco. Um ser robot, era uma excelente ideia.
Para nunca mais! Fica o aviso.

2 comentários:

Rita da Maçaroca disse...

Ena tanta raiva :S
Deve ter sido mesmo uma situação constrangedora para ti, para te deixar nesse estado...
Vais ver que um novo dia vai surgir e nessa alvorada irás encontrar a força para remar desse ponto.
Acredita. O que é bom guarda, o que é mau mete para o lado. À que separar o trigo do joio...

Beijinhos querida**

# Gabriela disse...

WOW, mázona. É esse o espírito da vingança, e é feio. Sombrio. Apesar de eu ser adepta :x
- mas, "faz o que eu te digo e não o que eu faço." ; :)

 
Designed by Lena